Como saber se uma vaga de trabalho é ideal para você?

A responsabilidade do setor de recursos humanos é muito grande: eles são responsáveis pelo bem-estar e pela produtividade do capital humano, assim como por uma série de processos burocráticos que, como sabemos, estão aliados ao faturamento, ao posicionamento da empresa em relação ao mercado e ao fortalecimento da cultura organizacional da companhia.

São os funcionários do RH também que frequentemente conversam com os novos talentos recrutados ou com pessoas que desejam fazer parte do quadro de colaboradores da companhia.

Em tempos de pandemia, é dever desses mesmos funcionários fazer ligações frequentes para checar como estão os colaboradores afastados, transmitir conteúdos relacionados ao bom funcionamento da empresa e, às vezes, até comunicar demissões à distância.

Se você está pensando em mudar de emprego ou já está se candidatando a novas vagas, saiba: é com o RH que você precisará falar, tanto para deixar a empresa que está neste momento quanto para alçar novos voos.

vaga de emprego para voce
vaga de emprego para voce

Esteja preparado para impressionar, mas também aberto para ouvir o que a nova companhia tem a oferecer.

Recebeu uma proposta nova de emprego, foi abordado por um headhunter ou foi chamado para uma entrevista, mas não sabe ainda se deve largar o seu emprego atual por outro?

Falaremos a seguir sobre os aspectos que você deve levar em consideração para fazer essa escolha. Confira!

Como saber se uma vaga de trabalho é a melhor opção para você?

Primeiro, analise as atribuições necessárias para aquela vaga. Você tem domínio do que é necessário para desempenhar as funções cotidianas ou terá que passar por um treinamento?

Esse treinamento ocorrerá no espaço da empresa, exigirá um curso ou um workshop? Se sim, por quanto tempo você será treinado?

Essas informações são interessantes para que você comece em um novo serviço preparado, com menos chance de se surpreender com aquilo que deve organizar e fazer.

É natural que você leve algumas semanas para se adaptar à nova rotina, mas é fundamental que você tenha pelo menos um pouco de experiência com as funções, principalmente se você for um funcionário com tarefas muito específicas.

Se a vaga não dialoga com as suas habilidades, pergunte-se: por que estou sendo chamado para ocupar essa vaga?

Na dúvida, seja sincero com o RH em relação ao seu currículum profissional, para que eles possam tirar o máximo de proveito da sua experiência e para que você não se coloque em uma situação difícil ou prejudicial.

Examine o ambiente de trabalho

Entre ficar em uma empresa agradável, mas que paga um salário mais baixo, e ir para uma empresa que paga melhor, mas é conhecida por ter um ambiente competitivo, carregado e totalmente vertical, vale a pena pensar duas vezes? Na nossa opinião, sim.

Estar exposto a um ambiente tóxico pode prejudicar não apenas o andamento do trabalho, mas a saúde física e mental do funcionário.

Isso, a longo prazo, pode gerar quadros de estresse, depressão, ansiedade ou mesmo auxiliar no desenvolvimento de vícios, que geralmente andam lado a lado com a frustração.

Sempre busque informações sobre como a empresa trata os seus contratados.

Na internet, há sites que permitem a ex-funcionários que digam o que acharam do tempo em que foram parte da equipe.

Verifique os benefícios corporativos

Se você será contratado como PJ, é possível que não tenha benefícios corporativos, já que normalmente isso é de responsabilidade do próprio trabalhador.

Se você terá a carteira assinada, as coisas mudam um pouco de figura.

Para o dia a dia, é importante ter um plano de saúde corporativo, assim como um plano que cubra limpeza, extração e alguns procedimentos voltados para a saúde odontológica.

O ideal é que o plano oferecido pela empresa seja aceito em hospitais de referência, tanto para consultas de rotina quanto para situações excepcionais.

Vale-transporte é obrigatório. Além disso, verifique também se a empresa oferece vale-refeição condizente com o local onde ela está ou se alimenta o funcionário no próprio espaço.

Pergunte, também, se há vale-alimentação, que pode ser utilizado em supermercados e estabelecimentos análogos.

Por fim, veja os benefícios extras, que não são tão comuns, mas certamente fazem diferença: vale-terapia, descontos para fazer atividade física em academias ou espaços de dança e plano de previdência privada corporativa, por exemplo, são investimentos por parte da empresa que podem mudar a vida e a realidade do trabalhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *