Como declarar o imposto de renda passo a passo e documentos necessários

Antes de você aprender como declarar o imposto de renda, é preciso primeiramente que você entenda o que é esse imposto.

Ele é um tributo que o governo federal cobra anualmente a pessoas ou empresas, de acordo com os rendimentos que são declarados.

Ou seja, de acordo com os ganhos ao longo do ano, a pessoa física ou jurídica deve pagar esse tributo ao governo.

Esse imposto é dividido em suas categorias, o IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) e o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica):

Como declarar o imposto de renda
Passo a passo para declarar o imposto de renda

O primeiro cobra os impostos para pessoas físicas de acordos com os rendimentos anuais sendo isenta as pessoas que apresentam rendimentos inferiores ao mínimo estabelecido para a contribuição.

O segundo cobra a empresas e organizações empresariais, ou a pessoas físicas que se equiparam à jurídica, também de acordo com os seus rendimentos anuais.

Depois que entendemos o que é um importo de renda, agora é preciso entender o passo a passo para fazer a declaração.

Diante disso, apresentaremos algumas dicas que você deve seguir para que sua declaração de imposto de renda esteja correta.

Passos para Declarar o Imposto de renda

1-    Baixe o app no celular ou o programa no computador da Receita Federal

Sim, é essencial que você tenha esse programa ou aplicativo, pois é nele que você vai fazer o preenchimento da sua declaração de IR. Então, caso seja a sua primeira vez fazendo essa declaração, é preciso que no seu celular ou computador você tenha esse programa da Receita Federal instalado.

2-    Procure organizar os documentos necessários

Antes de fazer a declaração é importante que você organize todos os documentos necessários para fazer a declaração.

Como sabemos, o imposto de renda é a forma que o governo encontrou de saber se a pessoa física ou jurídica fez os pagamentos necessários dos impostos.

Por isso é muito importante que você tenha em mãos todos os comprovantes de pagamentos, documentos de identificação, seja da pessoa física ou empresa, e recibos.

Eles ajudarão a demostrar o recebimento de renda, além do recolhimento dos impostos e suas comprovações de pagamento.

A princípio, uma forma de te ajudar a preencher a declaração de importo de renda é separar as informações sobre seus rendimentos anuais, por isso é preciso ter em mãos os seguintes informes: do trabalho (se sua carteira for assinada), dos investimentos e das suas contas bancárias.

Outros documentos necessários são:

  • RG,
  • CPF,
  • título de eleitor,
  • comprovante de consultas médicas (caso tenha feito),
  • comprovante de pagamento de faculdade (se for particular),
  • comprovante de envio de declaração de Imposto de Renda anterior (se for sua segunda declaração em diante) e comprovante de investimentos e bens.

3-    Tenha em mente se você vai fazer a declaração simplificada ou completa

Antes de começar, é bom que você tenha definido se vai fazer uma declaração completa ou simplificada. Geralmente o modelo mais recomendado para a maioria das pessoas é a declaração de Imposto de Renda Simplificada.

Nesse tipo de declaração você tem em média 20% de desconto sobre o valor calculado do IR devido.

Ou seja, esse desconto, calculado a partir dos valores informados, será devolvido a você em forma de restituição do Imposto de Renda.

Já a modalidade de declaração de Imposto de Renda Completa, é voltada mais para quem tem algum dependente (filho ou enteado com menos de 21 anos, ou até 24 anos, se estudando em instituição de ensino superior, cônjuges, entre outros) ou até mesmo alguma despesa com saúde, com educação, ou que tenha empregados domésticos, pois essas despesas extras podem ser deduzidas do seu IR.

4-    Faça o preenchimento das informações

Essa é a etapa onde você fará o preenchimento das informações necessárias para a declaração. É muito importante ter atenção na hora de fazer o preenchimento dos dados, pois é comum muitas pessoas caírem na malha fina, ou seja, haver uma verificação de inconsistências que pode acarretar muita dor de cabeça para o contribuinte.

Ou seja, esse tipo de “peneira”, ao identificar irregularidades, não permitem que as pessoas recebam a restituição da declaração que foi feita.

Essa só poderá ser feita após as irregularidades serem resolvidas.

Muitas pessoas caem na malha fina por conta de preenchimento errado das informações, tendo como principal consequência além da não restituição dos valores, o seu CPF bloqueado.

Por isso é muito importante que você preencha os dados de maneira correta, com os dados certos sobre a renda, deduções corretas, dados corretos sobre aplicações financeiras, e dados devidamente corretos sobre os bens a serem declarados.

Então, é essencial que você preencha todos os campos necessários com os informes corretos, sem que se tenha margem para algum tipo de dúvidas ou inconsistências relacionadas aos dados fornecidos.

Com essas dicas é possível fazer uma declaração de IR sem nenhum problema ou dor de cabeça, basta ter atenção e possuir todos os dados necessários para preencher as informações.

Quem precisa fazer a declaração de IR?

Como foi citado no começo desse texto, o Imposto de Renda é um tributo, ou seja, um imposto federal.

E ele deve ser pago quando uma pessoa física ou jurídica ganha dinheiro proveniente de salários, aluguéis, ou rendimentos de aplicações financeiras.

Por exemplo, se você tiver um salário acima de 28 mil reais em média, anualmente, deve fazer a declaração de IR.

Se o valor for abaixo dessa quantia, não é necessário que você faça essa declaração. Outro caso é se você fizer operações na bolsa de valores, se você fizer essas operações, será necessário fazer a declaração.

Com essas informações é possível que se você precise, possa fazer sua declaração de maneira correta, sem correr o risco de cair na malha fina por conta de dados inconsistentes ou até mesmo falta de dados.

Fazer uma revisão no preenchimento da declaração é essencial para que esses dados possam ser corretamente apresentados para a receita federal.

Ser cauteloso nesse caso não é exagero, uma vez que se houver constatação de irregularidades tanto relacionado a informações financeiras como pessoais pode acarretar cancelamento do seu CPF e consequentemente isso irá atrapalhar algumas ações no seu cotidiano.

Esse conteúdo foi desenvolvido em parceria com o escritório de advocacia Galvão e Silva. Escritório com diversos advogados experientes que irão te ajudar e auxiliar em diversos assuntos sobre leis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *